Palestras

As palestras e a mesa de abertura são realizadas na sala 633 do bloco A e a mesa de encerramento no auditório do CT.
TODAS AS PALESTRAS SÃO GRATUITAS
Confira a Programação:
Horário Segunda Terça Quarta Quinta Sexta
10h45 – 12h Recursos Minerais no Brasil Cannabis: desafios na produção farmacêutica Estudo químico da lama do acidente ocorrido na cidade de Mariana Gastronomia molecular: a química a serviço do prazer Química quântica: Partículas, ondas e você no meio de tudo isso
13h15 – 14h30 Espectroscopia de antihidrogênio: a medida mais precisa sobre antimatéria O aluno com TEA na escola inclusiva Química do amor Cromatografia contracorrente na purificação de produtos naturais: porque a vida fica mais fácil assim! Mulheres na ciência: trajetórias, barreiras e estímulos
17h30 – 18h45 Perspectiva de empregabilidade na área de química em tempos de crise Importância da corrosão para a sociedade / Aplicações de fluidos dielétricos no setor elétrico Expectativas e performances acadêmicas: uma conversa sobre saúde mental Captura e Estocagem de CO2 X Uso e conversão de CO2: Quais são os caminhos para um futuro próximo?
Especialmente esse ano a Merck irá oferecer três palestras que ocorrerão na sala A-611. Segue a programação:
9h – 10h 10h – 10h15 10h20 – 11h 11h – 12h15
Quarta Princípios básicos da cromatografia Coffee break Manipulação de reagentes e solventes Espectrometria básica

Recursos minerais no Brasil

Professores: Atlas Vasconcelos Correa Neto – IGEO/UFRJ, Fernando Antônio Freitas Lins – CETEM e Ciro Alexandre Avíla – Museu Nacional da UFRJ
Resumo: Em breve mais informações…


Espectroscopia de antihidrogênio: a medida mais precisa sobre antimatéria

Professor: Claudio Lenz Cesar – IF/UFRJ
Resumo: Estudos de precisão de antihidrogênio podem lançar luz sobre um dos maiores mistérios da física atual: a assimetria entre matéria e antimatéria no Universo. Nessa apresentação revimos os desenvolvimentos nos experimentos ATHENA e ALPHA, sediadas no Desacelerador de Antiprotons (AD) do CERN, começando pela primeira produção de anti-átomos em baixas velocidades[1] e depois ao primeiro aprisionamento desses átomos[2]. Essa espécie exótica pode ser aprisionada em tempos excedendo 15 minutos[3] o que possibilita uma nova era de medidas de alta precisão em antimatéria. Dentre as medidas iniciais colocamos novos limites numa possível carga elétrica do anti-átomo[4] estabelecendo novos limites para uma possível anomalia de carga do pósitron. Microondas podem induzir transições de spin-flip e permitem uma medida da constante hiperfina[5]. O objetivo central, a espectroscopia a laser na transição de 2-fótons 1s-2s foi iniciada com a primeira excitação a laser de um anti-átomo[6] e evoluiu em 2017 para mapear o espectro da transição que pode levar a comparações entre a frequência do antihidrogênio com o seu conjugado, o hidrogênio, de partes em 1012 constituindo-se na medida mais precisa já feita sobre antimatéria. Há perspectiva de se atingir parts em 1015 e além[7], o que vai requerer mais resfriamento dos anti-átomos[8] e a possibilidade de aprisionar hidrogênio no mesmo ambiente de armadilha que o antihidrogênio[9]. Se a simetria de CPT (conjugação de carga, paridade, reversão temporal) vai ser preservada nesses níveis de precisão ou se a gravidade age sobre antimatéria da mesma forma que sobre matéria – sondado inicialmente por “red-shift” gravitacional na frequência da transição e depois balisticamente – somente a natureza sabe. Como experimentalistas com essa espécie exótica em mãos, é nossa responsabilidade inquirir propriamente essas respostas da natureza.

[1] M. Amoretti et al. (ATHENA Coll.), “Production and detection of cold antihydrogen atoms”, Nature 419, 456 (2002)
[2] G. B. Andresen et al. (ALPHA Collaboration), “Trapped Antihydrogen”, Nature 468, 673 (2010)
[3] G. B. Andresen et al. (ALPHA Collaboration), “Confinement of Antihydrogen for 1,000 Seconds”, Nature Physics 7, 558 (2011)
[4] M. Ahmadi, et al. (ALPHA Coll.) “An improved limit on the charge of antihydrogen from stochastic acceleration”, Nature 529, 373 (2016)
[5] C. Amole, et al. (ALPHA Coll.), “Resonant quantum transitions in trapped antihydrogen atoms”, Nature 483, 439(2012) ; M. Ahmadi et al. [ATHENA Collab.], “Observation of the hyperfine spectrum of antihydrogen”, Nature 548, 66 (2017)
[6] M. Ahmadi et al. [ALPHA Coll.], Observation of the 1S–2S transition in trapped antihydrogen, Nature 541, 506 (2017)
[7] Ch. G. Parthey et al., “Improved Measurement of the Hydrogen 1S-2S Transition Frequency”, Phys. Rev. Lett. 107, 203001 (2011); C. L. Cesar, “Zeeman effect on the 1S-2S transition in trapped hydrogen and antihydrogen”, Phys. Rev. A 64, 023418 (2001); C. L. Cesar et al., “Two-Photon Spectroscopy of Trapped Atomic Hydrogen”, Phys. Rev. Lett. 77, 255 (1996)
[8] see for example: C. L. Cesar, F. Robicheaux and N. Zagury, “Possible mechanism for enhancing the trapping and cooling of antihydrogen”, Phys. Rev. A 80, 041404(R) (2009), and P H Donnan, M C Fujiwara and F Robicheaux, “A proposal for laser cooling antihydrogen atoms”, J. Phys. B 46, 025302 (2013)
[9] C. L. Cesar, “A sensitive detection method for high resolution spectroscopy of trapped antihydrogen, hydrogen and other trapped species”, J. Phys. B 49, 074001 (2016)

 


Perspectiva de empregabilidade na área de química em tempos de crise

Professor: José Celestino de Barros Neto – Microempreendedor Individual
Resumo: Um olhar sobre possíveis trajetórias profissionais não-usuais para alunos das áreas de química e engenharia química em cenário de crise.


Cannabis: desafios na produção farmacêutica

Professora: Virgínia Frota de Matos – FF/ UFRJ
Resumo: A Cannabis é uma planta medicinal conhecida mundialmente pelo consumo social/recreativo e ao longo de anos de proibição foi melhorada geneticamente com a finalidade de aumentar sua potência psicoativa. A planta apresenta um grupo de princípios ativos conhecidos por canabinóides com diversas propriedades terapêuticas, sendo os principais o tetrahidrocanabinol (THC) e canabidiol (CBD). Com a recente demanda de saúde de extratos de cannabis ricos em CBD para controle de crises convulsivas e com a regulamentação nacional para essa e outras indicações terapêuticas, a produção farmacêutica torna-se uma ação estratégica na política de saúde. Por outro lado a falta de matéria prima adequada constitui a maior barreira na pesquisa e desenvolvimento. Assim será apresentado os dados observacionais e analíticos no âmbito do projeto de extensão Farmacannabis-UFRJ e do projeto de pesquisa que tem a padronização da matéria prima, processo extrativo e controle de qualidade como objetivos centrais.


O aluno com TEA na escola inclusiva

Professora: Dayse Carla Genero Serra – UFF
Resumo: Em breve mais informações…


Importância da corrosão para a sociedade

Professora: Cristina da Costa Amorim – CEPEL
Resumo: Os problemas de corrosão ocorrem nas mais variadas áreas de atividades e não somente naquelas chamadas industriais. Podem surgir nas indústrias químicas, petrolíferas, naval, no setor elétrico, na construção civil, bem como nos meios de transporte e nos meios de comunicação, na medicina e em obras de arte. As perdas econômicas que atingem essas atividades podem ser classificadas em diretas e indiretas, assim como os custos associados a elas. Na apresentação serão abordados o levantamento realizado nos EUA sobre os custos diretos e indiretos da corrosão, bem como serão mostrados e discutidos casos práticos de degradação de estruturas e/ou equipamentos.


Aplicações de fluidos dielétricos no setor elétrico

Professor: Francisco de Assis Filho – CEPEL
Resumo: A palestra inicialmente trará, de forma sucinta, uma visão panorâmica do sistema elétrico brasileiro, desde a energia proveniente de hidrelétricas e outras fontes alternativas, abordando aspectos de geração, transmissão, distribuição. Para que todo sistema elétrico funcione de forma integrada, e com a confiabilidade exigida, tem-se os seus projetos, os materiais envolvidos, equipamentos, e entre estes, os fluidos, os quais são concebidos para durarem 30 anos ou mais dentro dos equipamentos em operação. O foco da palestra está voltado aos fluidos dielétricos utilizados em equipamentos elétricos, incluindo sua finalidade, contexto onde são usados, e o porquê, bem como sua importância estratégica. Serão abordados aspectos referentes à sua origem, composição, comportamento, envelhecimento, propriedades (químicas, físicas e físico-químicas), bem como informações que estão contidas em seu interior sobre a condição de operação dos equipamentos e dos seus materiais.


Captura e Estocagem de CO2 X Uso e conversão de CO2: Quais são os caminhos para um futuro próximo?

Professora: Jussara Lopes de Miranda – IQ/UFRJ
Resumo: CO2 é o principal gás do efeito estufa, tendo já alcançado a concentração de 400 pmm na atmosfera. A redução das emissões de CO2 representa, deste modo, um desafio global para viabilizar tecnologias e métodos para a sua captura, seu uso ou conversão em produtos de valor agregado. Diferentes tecnologias para a captura de CO2 já foram desenvolvidas e além do uso das aminas alcooladas, adsorventes sólidos também podem ser usados, como as membranas, os materiais híbridos metal orgânicos, as zeolitas e as membranas mistas. Processos integrados de captura e conversão de CO2 têm sido investigados visando atender às demandas de mercado por produtos mais verdes, assim como, a viabilização econômica dos custos para a captura.


Química do amor

Professor: Allan Rodrigues e Bruno Pires
Resumo: Em breve mais informações…


Expectativas e performances acadêmicas: uma conversa sobre saúde mental

Professores: Filipe Miranda Pereira – Psicoterapeuta, Carolina Terres Ferreira – Psicoterapeuta e Priscilla Welte Ballesteros Pedroza – Psicoterapeuta
Resumo: Passar no vestibular na primeira tentativa, fazer a faculdade em 4 anos, ter um ótimo estágio, ganhar uma disputada bolsa de pesquisa acadêmica e sair da faculdade com um emprego garantido podem ser exemplos de que a faculdade é um período da vida que pode ser vivido com muitas expectativas de alto desempenho e performance. O que acontece quando a experiência vivida difere dessa expectativa? Alcançar a performance desejada é a garantia de uma vida com qualidade? Com quem você fala sobre essas questões. Convidamos as pessoas interessadas para uma reflexão e diálogo sobre saúde mental no contexto universitário, onde as demandas por uma ótima performance muitas vezes misturam-se com as exigências pessoais e humanidade de seus alunos.


Gastronomia molecular: a química a serviço do prazer

Professora: Daniela Alves Minuzzo – Instituto de Nutrição/UFRJ
Resumo: A gastronomia tem sido tema cada vez mais presente no nosso cotidiano, seja pelo crescente número de programas de televisão, pela expoente produção literária, pela recente valorização do profissional da área ou mesmo pelas facilidades tecnológicas e de acesso a insumos disponíveis atualmente para o público em geral. Dentre os diversos aspectos a respeito do tema, a gastronomia molecular também tem surgido como assunto cada vez mais popularizado. Apesar de ser uma das profissões mais antigas do mundo, o termo “gastronomia molecular” surge apenas em 1988, criado por um físico, Nicholas Kurti, e um químico, Hervé This. Em uma área historicamente marcada pelo empirismo, a adoção de preceitos científicos para o desenvolvimento de preparações, marca o início de um novo movimento na gastronomia. O prazer dos sentidos da alimentação ganha então mais uma aliada: a ciência.


Cromatografia contracorrente na purificação de produtos naturais: porque a vida fica mais fácil assim!

Professora: Gilda Guimarães Leitão – Instituto de Pesquisas de Produtos Naturais/UFRJ
Resumo: A cromatografia contracorrente (CCC) é uma técnica de cromatografia de partição líquido-líquido que não utiliza suportes sólidos (Conway, 1990). Nesse tipo de técnica, tanto a fase estacionária quanto a móvel são líquidas e os sistemas de solventes utilizados formam obrigatoriamente duas fases líquidas imiscíveis. Os equipamentos modernos de CCC utilizam um campo de força centrífuga para retenção da fase estacionária dentro da coluna, e podem ser de dois tipos, de acordo com o equilíbrio das duas fases dentro da coluna: a. hidrodinâmicos e b. hidrostáticos. No primeiro caso (equilíbrio hidrodinâmico), existem dois eixos de rotação (a coluna gira em movimento planetário) e o campo de força centrífuga gerado é variável ao longo da coluna, formando zonas de misturas e de decantação das duas fases líquidas. No caso dos equipamentos hidrostáticos, existe apenas um eixo de rotação e o campo de força centrífuga é uniforme ao longo da coluna. Nos dois tipos de equipamentos há boa retenção dos sistemas de solventes, o que torna a técnica versátil, rápida e eficiente na separação de diversos tipos de amostras, nas escalas de mg a g de material. Por conta da natureza líquida da fase estacionária é possível um grande carregamento de amostra, tornando a técnica útil em fracionamentos preparativos.

A CCC tem sido amplamente utilizada no isolamento e purificação de produtos naturais (Berthod, 2009), sendo a escolha do sistema de solventes adequado a etapa crítica do processo. Cerca de 90% do tempo gasto em uma separação corresponde a escolha correta do sistema de solventes adequado (Ito, 2005), da qual depende o sucesso dos fracionamentos por essa técnica. Nessa apresentação serão abordadas estratégias na escolha de sistemas de solventes para purificação de produtos naturais por CCC oriundos de diferentes matrizes vegetais.

Agradecimentos: a todos os meus alunos e ex-alunos e aos órgãos de fomento (Faperj, CAPES, CNPq)

Referências Bibliográficas:

A. Berthod, Countercurrent chromatography: people and applications, J. Chromatogr. A 1219 (16) (2009) 4206–4217
W.D. Conway, Countercurrent Chromatography: Apparatus, Theory and Applications, VCH, New York, 1990 (ISBN 0-89573-331-5).
Y. Ito, Golden rules and pitfalls in selecting optimum conditions for high-speed counter-current chromatography, J. Chromatogr. A 1065 (2005), 145–168


Estudo químico da lama do acidente ocorrido na cidade de Mariana

Professor: Otávio Versiane Cabral – IFRJ
Resumo: O grave acidente ocorrido na cidade de Mariana em Minas Gerais causou um dos maiores desastres ambiental da história. O rompimento de uma barragem onde toneladas de rejeitos da extração de minério de ferro estavam estocadas destruiu toda uma cidade e ainda não é possível determinar o tamanho do impacto ambiental. A poluição causada principalmente no rio doce precisa ser acompanhada durante muitos anos, devido ao efeito propagador que leva a poluição de metais pesados e grande quantidade de silicatos solúveis para locais muito distantes de onde ocorreu o acidente. Além da contaminação do solo da cidade de Marina o rio doce carreia enorme poluição em direção ao mar. O resíduo é composto principalmente de ferro e sílica, exibindo a presença de diversos outros metais de ocorrem comumente nas atividades de mineração de ferro e manganês. O principal minério de ferro na região é o itabirito que possui grandes quantidades de silicato na sua composição. Após o resíduo de mineração se misturar com solo, água e vegetação da região, torna-se difícil monitorar a presença de metais tóxicos como o arsênio em uma grande área de extensão, principalmente devido ao fato do material não apresentar um comportamento homogêneo. Após coleta de material iniciamos estudos para tentar identificar a presença de arsênio utilizando o método de Gutzeit.


Química quântica: Partículas, ondas e você no meio de tudo isso

Professora: Grazieli Simões – IQ/UFRJ
Resumo: A mecânica quântica é uma parte da física dedicada ao estudo do comportamento da matéria e da energia em escalas atômica e subatômica. Um dos fatos mais impressionantes da física quântica é que tudo no universo, desde a luz até os elétrons e átomos se comportam tanto como ondas quanto partículas (e ao mesmo tempo). Mas, como os físicos chegaram a esta conclusão? Como eles construíram a teoria quântica através das próprias descobertas? E você? O que tem a ver com isso?


Mulheres na ciência: trajetórias, barreiras e estímulos

Professoras: Maria Domingues Vargas – IQ/UFF, Viviane Gomes Teixeira – IQ/UFRJ e Marcia Cristina Bernardes Barbosa – IF/UFRGS
Resumo: A mesa redonda abordará um histórico quantitativo da participação de mulheres em carreiras científicas no Brasil e as barreiras enfrentadas nesse meio profissional, assim como serão também discutidas ações que vêm sendo desenvolvidas no sentido de vencer o cenário desfavorável para as mulheres na ciência.